Como e por quê automatizar o processo de têmpera de vidro plano

Temos ouvido ultimamente muito sobre automação, a Internet das coisas e digitalização. O que significam esses termos? E como eles se relacionam com o setor de têmpera de vidro?

O objetivo de automatizar uma linha de têmpera de vidro não é adicionar tecnologia ao processo apenas pelo bem da tecnologia. Na verdade, trata-se de eliminar ações e trabalhos que não agregam valor.

Neste blog, quero apresentar os passos que precisamos tomar para nos movermos de onde estamos agora em direção a um processo totalmente automatizado. Ainda mais, determinadas questões tecnológicas deverão ser resolvidas para podermos automatizar por completo o processo de têmpera de vidro.

Similaridades entre carros e linhas de têmpera

Para facilitar o entendimento, vamos comparar nosso caso com os carros de passeio Tesla, para ajudar a mostrar onde estamos no caminho para alcançar um carro totalmente automático. Carros autoconduzidos ainda não são uma realidade, mas já estão quase chegando. Carros já contam com função de estacionamento automático, piloto automático adaptativo e outros recursos avançados.

Claro, os condutores são bem diferentes para carros de passeio em comparação aos operadores de processo de têmpera de vidro. Os operadores comuns em nosso negócio estão aumentando a produção, oferecendo melhores serviços aos clientes, aprimorando a relação custo-eficiência e otimizando as operações gerais de sua fábrica.

Cinco passos em direção à automação total

Um modelo de cinco passos pode ser usado para ilustrar o nível de automação da indústria automobilística, sendo o nível um a automação zero e o nível cinco a automação total com carros autoconduzidos, totalmente automatizados em todos os aspectos. O nível um requer uma determinada quantidade de assistência ao condutor. O próximo nível oferece mais assistência ao condutor. Por fim, encontramos muitos recursos de assistência, como o auto-estacionamento. Mas tomar o próximo passo adiante sempre requer determinadas inovações.

Ao analisarmos o processo de têmpera de vidro, temos um operador no lugar de um condutor. Quando avançamos o mesmo modelo de automação, o operador obtém mais assistência. Os primeiros dispositivos de medição permitiram ao operador saber o que ocorria durante o processo. Nos últimos três ou quatro anos, recentes inovações sugerem opções para ajudar o operador a executar melhor o processo. Assim, até na indústria de têmpera, estamos movendo adiante passo a passo. Por exemplo, a Glaston já oferece o Assistant Pro e o Reporting Pro para ajudar operadores a fazer melhor uso das informações do processo.

Quando formos ao próximo passo, o qual já é uma realidade, podemos integrar com um sistema ERP para dizer-nos que tipo de vidro está sendo processado. Se a mistura de vidro é relativamente estável, já podemos automatizar o processo apenas selecionando uma receita com base nas respostas do ERP. Ainda, as complexidades dos dias atuais são maiores do que nunca e precisamos desenvolver ainda mais as tecnologias para podermos automatizar totalmente o processo para qualquer coisa além do mais básico.

Automating flat glass tempering line_GPD2017

Cada linha dá apoio a P&D

Elon Musk afirma que cada carro Tesla é uma linha de P&D que facilita ainda mais o desenvolvimento do processo, assim como cada um de nossos fornos de têmpera é uma linha de P&D na indústria de vidro. Isso significa que a equipe de P&D da Glaston não trabalha sozinha no aprimoramento do desenvolvimento do processo, mas cada uma de nossas linhas está conectada uma a outra para compartilhar dados vitais. Todo o ecossistema Glaston trabalha em conjunto, aproximando-se da automação total ao usar os dados coletados para criar mecanismos de autoaprendizagem.

Atualmente, relatórios em tempo real estão disponíveis sobre o que a máquina está realizando e sua eficiência de produção, assim há mais dados disponíveis para gerenciar a produção.

Ainda existem obstáculos antes de alcançarmos o próximo nível. A relação custo-eficiência, a confiabilidade e a reprodutibilidade dos dispositivos de medição são fundamentais para a automação. Assim, precisamos inovar mais para alcançarmos o próximo passo com dispositivos de medição realmente infalíveis.

A estratégia da Glaston é usar os dados de toda nossa base instalada para a automação do processo e aprimorar a operação das linhas de têmpera. O papel do operador também mudará conforme o processo se torna mais automatizado, permitindo ao operador focar nos dados, otimizando os valores de processo e agregando mais valor a todo o setor de processamento de vidro.

Você está pronto?

A digitalização na indústria da construção está avançando rapidamente. Esperamos digitalizar a compra de vidro e outros materiais nos próximos cinco anos. Pense no que isso significa para o processador de vidro, seus sistemas de preço, seus sistemas de planejamento. Eles precisam estar prontos para tecnologias de código-fonte aberto para a compra digital.

Toda a sua lógica de negócio, como você administra seu negócio ou mesmo o que você vende pode mudar. Talvez você queira se perguntar se está preparado para o que está por vir.

Ferramentas automatizadas chegarão em breve e elas o ajudarão a avaliar exatamente a qualidade de seu vidro. Os seus clientes estão prontos para pagar por vidro anisotrópico por quase nada? Como você precificará o produto?

Outra coisa que acontecerá muito em breve é que você será capaz de acompanhar seu lucro por hora. Como alterar apenas um único parâmetro, tal como consumo de energia, afeta seu lucro?

A automação está acontecendo. O que você está fazendo sobre isso, e como isso afetará seu negócio?

Baixe a apresentação:

Automating flat glass tempering line by Miika Äppelqvist

Ou assista a apresentação em vídeo da GPD Finlândia em junho de 2017, Tampere, Finlândia:

Quer saber mais?

Inscreva-se no boletim informativo da Glastory

Compartilhar esta história

Sobre o autor

Miika Äppelqvist

Encourages transparent solutions in buildings and ways of working. Seven years of experience from being a glass-man in product management, sales and projects with a focus on glass heat treatment. Believes helping is the best marketing any company can do. Father of two toddlers and a wannabe sportsman with an internal love of ice hockey.