Filmes de PVB e EVA na laminação de vidros – qual é a diferença e qual você deve escolher?

Como o nome sugere, o vidro laminado é composto de várias camadas de vidro com uma intercalar no meio para manter os painéis unidos. Com uma vasta variedade de diferentes camadas disponíveis no mercado hoje, como você pode fazer a escolha certa?

Muitas vezes nos perguntam qual é a diferença entre laminar com PVB e EVA – e é uma excelente pergunta, porque decidir entre PVB e EVA também pode afetar significativamente o tipo de equipamento de produção que você precisa.

Antes de compararmos as principais características das camadas, é crucial entender como o nível de adesão entre o filme e o vidro afeta o desempenho de segurança do vidro laminado.

No início, pode parecer que o melhor é ter a máxima adesão possível entre o vidro e o filme, pois isso fará com que o laminado fique fortemente fixado. Embora seja verdade que o alto nível de adesão ajude a reduzir o risco de delaminação ao longo do tempo, por exemplo, em aplicações com a borda aberta onde a água está presente, a desvantagem é uma pior resistência ao impacto, o que significa um pior desempenho de segurança.

Uma adesão mais baixa permitirá que o laminado absorva mais energia enquanto permanece intacto, portanto o nível de adesão está diretamente relacionado à segurança do vidro. O efeito do nível de adesão na resistência ao impacto e na resistência à delaminação é ilustrado na tabela abaixo. Um baixo nível de aderência resulta em um bom desempenho de resistência ao impacto, enquanto alta adesão resulta em bom desempenho de borda aberta. Na prática, o mais importante é encontrar o equilíbrio correto entre a resistência ao impacto e o nível de adesão para cada aplicação.

Performance in relation to adhesion level

Observe aqui que a comparação está relacionada aos filmes e seus comportamentos: a segurança do laminado final também está relacionada à composição do sanduíche (espessuras de vidro, sejam elas temperadas ou não, espessura de filme usado, quantidade de filme usado, etc.). Ser capaz de avaliar que tipo de características você precisa para diferentes aplicações ajudará você a alcançar o desempenho ideal com o produto final.

Diferentes tipos de películas têm diferentes tipos de propriedades quando se trata do nível de adesão alcançado durante o processamento. Os padrões definem o nível de desempenho de segurança necessário para cada caso de uso do laminado final. Consequentemente, os padrões normalmente não especificam que tipo de película você realmente precisa usar, desde que o produto final atenda aos requisitos de segurança estabelecidos para a aplicação. No final, cabe aos designers e processadores de vidro concordar com o tipo de produto que deve ser usado.

PVB

Inventado há mais de 90 anos, o PVB (polivinil butiral) tem sido o principal material de laminação de vidro e ainda é de longe a película mais utilizada no mercado. Durante os anos, houve muito desenvolvimento nos filmes de PVB, tornando o PVB uma opção válida para quase qualquer tipo de aplicação.

As características do PVB incluem:

  • Custo-benefício
  • Isolamento acústico
  • Variedade de espessuras e cores
  • Nível de adesão variável (baseado no tipo de PVB)
  • Customizável – mistura e combina diferentes camadas de PVB

A grande variedade de tipos diferentes de PVB o torna uma opção válida para a maioria das aplicações, além de ser fácil de produzir e manusear. Embora o PVB normal seja um bom interlayer para uso na maioria das aplicações, é bom reconhecer que é possível melhorar ainda mais o desempenho em diferentes aplicações, escolhendo o tipo de PVB correto para ser usado.

A principal desvantagem do uso de PVB normal é que ele tem baixa resistência à água. Delamina facilmente se exposto a ambientes úmidos por um longo tempo. Isso significa que o PVB normal não é a melhor escolha para aplicações de borda aberta. Para aplicações de borda aberta, certifique-se de usar PVB rígido ou de alta adesão, com melhor resistência à água ou outros tipos de interlayers.

As condições de armazenamento e processamento para intercamadas de PVB são um pouco exigentes – no entanto, o armazenamento é mais fácil com o PVB intercalado, que atualmente é o tipo de filme mais utilizado no mercado de arquitetura. Quando o PVB estiver sendo armazenado, verifique se a área de armazenamento tem controle de temperatura e umidade. Com o PVB intercalado, a temperatura deve ser mantida entre 18 e 22 ° C e a umidade deve ser mantida em torno de 25% (verifique as condições ideais de armazenamento do seu fornecedor).

O armazenamento adequado de PVB é extremamente importante para garantir que o nível correto de adesão entre o vidro e o filme seja alcançado. Também existem diferentes tipos de PVB projetados para desenvolver diferentes níveis de adesão e fornecer o desempenho ideal em diferentes casos. O baixo nível de adesão pode ajudar a obter melhor resistência ao impacto, enquanto a alta adesão pode ajudar nas aplicações de bordas abertas.

EVA

O EVA (acetato de etileno-vinil) é um tipo de filmebem recente comparado ao PVB. Atualmente, a utilização da EVA no mercado de arquitetura é de cerca de 5%. A composição química do EVA permite que as moléculas internas gerem ligações muito fortes, garantindo melhor desempenho em condições especiais, como alta temperatura ou umidade.

As características do EVA incluem:

  • Alta aderência (alta resistência à umidade)
  • Usado com frequência em aplicações decorativas
  • Não requer autoclave
  • Fácil armazenamento e condições de processamento

O EVA é normalmente usado em aplicações de vidro interno e decorativo e também pode ser usado em algumas aplicações de borda aberta. O alto nível de adesão deste tipo de interlayer aumenta a resistência do produto final à delaminação e também sua durabilidade. Devido ao alto nível de aderência em baixas temperaturas, o EVA é frequentemente usado em aplicações em que materiais (como figuras, folhas, etc.) são incorporados ao laminado para fins decorativos.

A desvantagem da alta aderência do EVA é que ele leva a um desempenho menor da resistência ao impacto; portanto, o EVA normal nem sempre atende aos requisitos do vidro laminado de segurança. Consequentemente, os filmes de EVA podem não ser a melhor opção se eles precisarem suportar vidro fraturado por um longo tempo. Portanto, não é a opção mais adequada para aplicações com requisitos estritos de segurança e aplicações estruturais. Se o EVA for usado em aplicações em que exige-se rígidos padrões de segurança, verifique o desempenho da composição selecionada do sanduíche.

Observe também que os interlayers EVA são normalmente usados ​​com equipamentos de ensacamento a vácuo. A vantagem é que um sistema de ensacamento a vácuo representa um investimento inicial menor. Como desvantagem, fornece capacidade muito limitada em comparação com as linhas nip-roll. O EVA também pode ser difícil de processar, pois tende a vazar para fora do laminado durante o aquecimento. Antes de escolher, é importante avaliar todos os prós e contras do seu caso particular.

Veja as características do interlayer

Também é importante lembrar que nem todas os filmes de EVA ou PVB são iguais. Vários produtos com propriedades ligeiramente diferentes podem ser listados nessas siglas. Portanto, verifique as fichas técnicas dos fabricantes antes de selecionar a mais correta. Lembre-se também de que, no final, o desempenho real do produto final é o que importa – portanto, qualquer que seja o tipo de interlayer que você usar, certifique-se de testar se os requisitos locais de segurança serão atendidos.

As principais características e diferenças entre os interlayers PVB e EVA são mostradas na tabela abaixo.

Main characteristics and differences between PVB and EVA interlayers

Para a tabela completa e uma descrição detalhada dos interlayers estruturais, como o SentryGlas®, consulte o Guia do Comprador de linha de laminação.

Lembre-se de que o vidro laminado é um produto complexo. Suas propriedades mecânicas podem mudar consideravelmente, dependendo do tipo de filme aplicado.

Quer saber mais?

Inscreva-se no boletim informativo da Glastory

Compartilhar esta história

Sobre o autor